Energia de Biomassa e Solar para o Século 21

Sistema de Aquecimento Solar

Trata-se de um conjunto incluindo um coletor, um boiler e um sistema de aquecimento elétrico acoplado.

O coletor é a placa para captação da energia dos raios solares, transformando-a no calor que aquece a água fria.
Seu número varia de acordo com a capacidade do boiler (o reservatório que armazena a água quente): uma ou duas placas para boilers de 150 litros, duas para 200 litros, duas ou três para 250 litros e quatro a cinco para 300 litros.

Como regra geral, o boiler deve ser instalado em posição superior aos coletores.
Estes devem estar voltados para o norte, e sua inclinação deve ser igual ao ângulo da latitude local acrescido de 5 a 10 graus.

Tipo de funcionamento:

Acumulação

Vantagens:
custo de aquecimento zero, em regiões de sol constante .

Desvantagens:
custo do aparelho; em regiões pouco ensolaradas, o sistema elétrico é acionado constantemente .

Aquecimento Solar de Grande Porte

Sistemas de aquecedores solares pode ser opção econômica para empresas e empreeendimentos

O Brasil é um país ensolarado e a energia do sol é gratuita. Assim, em princípio vale a pena instalar sistemas de aquecimento solar na maioria dos casos. Mas existe uma série de variáveis que devem ser levadas em conta.

Em primeiro lugar é importantíssimo entender que como a sol está disponível durante aproximadamente 8 horas por dia, devemos durante esse período, armazenar água suficiente para 24 horas de operação, ou seja, se um determinado estabelecimento consome 30.000 litros de água quente por dia precisamos dimensionar uma armazenagem de 30.000 litros e um aquecedor solar com coletores suficientes para aquecer essa quantidade de água.

Outro fator importante a ser considerado é o sistema de apoio, ou seja, é necessário que exista um sistema de apoio (aquecedor a gás, aquecedor a diesel, aquecedor a lenha) capaz de dar conta de aquecer toda água necessária nos dias em que náo houver sol suficiente.

Sistemas com aquecedores solares de maior porte exigem planejamento técnico e projeto especializado. É muito comum encontrarmos sistemas ineficientes devido à falhas no projeto ou na instalação. Uma das principais falhas é o subdimensionamento: o cliente paga menos mas fica com um sistema insuficiente para suas necessidades.

Para evitar frustrações é necessário que a necessidade de água quente seja devidamente equacionada e o valor do investimento seja avaliado sem meias medidas.

Em sistemas de aquecimento de água de grande porte precisamos calcular a necessidade de energia, as vazões e o diâmetro das tubulações, a taxa de vazão nos coletores, o dimensionamento das baterias em série e em paralelo e as bombas. Precisamos ainda dimensionar o número de boilers, a vazão dos dispositivos de entrada e saída, adicionar sistemas de segurança e anti-vácuo, eliminadores de ar e outros.

Nos sistemas por circulação forçada podemos instalar os boilers em um nível abaixo ou acima dos coletores.

Publicado em: 03/12/2009